NUNCA SE ESCREVEU TANTO, TÃO ERRADO E SE INTERPRETOU TÃO MAL.


Nunca se escreveu tanto, tão errado e se interpretou tão mal. Saber ler e interpretar é questão de sobrevivência e amplia nossos horizontes. Nunca se escreveu tanto, tão errado e se interpretou tão mal. Quem afirma é Otávio Pinheiro, fundador da Redação Online, plataforma que viabiliza correções de redações preparatórias para o Enem e outros concursos. A opinião foi dada recentemente em um artigo publicado no jornal Folha de S. Paulo.

Segundo Pinheiro, que também é historiador e cientista político, os dados de leitura, escrita e interpretação do Brasil ajudam a entender a origem do problema. Em 2016, dos 70 países avaliados pelo Pisa (Programa Internacional de Avalição de Alunos), o Brasil ficou na posição 59 em termos de leitura e interpretação. Não é de se admirar, portanto, que 537 mil alunos tenham zerado a redação do Enem no ano de 2014 – o que significa 10% dos 6 milhões de participantes. Já em 2017, 309 mil redações tiveram nota zero. Apenas 53 alcançaram nota máxima.

E o problema se reflete nas universidades, de acordo com o fundador da Redação Online. Ele cita a pesquisa Indicador de Alfabetismo Funcional, conduzida pelo Instituto Paulo Montenegro em parceria com a ONG Ação Educativa. Nela, 22% dos universitários aparecem com plena condição de compreender e se expressar – que ficam no chamado nível proficiente, o maior estágio de alfabetismo. A mesma pesquisa aponta que 4% dos brasileiros que chegam à universidade estão no grupo de analfabetos funcionais. São pessoas capazes de compreender minimamente letras e números, mas que não desenvolvem habilidade de interpretação de textos ou de operações matemáticas.

Para Pinheiro, dados como esses ratificam a urgência de se colocar a escrita, a leitura, a interpretação e a comunicação como bandeira em todos os níveis da sociedade. São estímulos, referências e políticas de Estado que deem prioridade a estes aspectos educacionais – desde que de forma integrada. “É preciso que os processos de recrutamento das empresas deem mais valor para atividades que incluam o texto como avaliação. E também contar com os negócios de impacto social focados em educação para endereçarem soluções viáveis.”, acrescenta ele na Folha de S. Paulo. “Saber ler e interpretar é questão de sobrevivência.” Fonte: Desafios da Educação Compartilhe com seus  amigos !!!


TAGS - Redação Curitiba, redação para concursos, curso de redação Curitiba, Professora Fernanda Tenfen, Redação pré-vestibular.

111 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

curso de redação online, aula de redação, aprender a fazer redação, curso de redação, estudar redação onlinecurso de redação curitiba, redação ufpr, curso de redação para enem vestibular concursos e empresarial curitiba pr, curso de portugues em curitiba, aula particular de redação preço, curso de redação em curitiba, curso redacao concurso, curso de produção de texto em curitiba, curso de gramática e redação

redação curitiba; curso de redação curitiba; aulas de redação curitiba; Redação; oficina de redação curitiba; aulas particulares de redação curitiba; curso redação curitiba; professor de redação curitiba; aula particular de redação curitiba; curso de redação ufpr
curso de redação vestibular curitiba; curso de redação para enem; redação vestibular; redação para concursos; concurso da polícia curitiba #redaçãocuritiba ; #redaçãovestibular #redaçãoENEM #redaçãoparaconcursos; Fernanda Tenfen; mandandobem redação;

recurso de redação UFPR PMPR PRF  PCPR Curitiba.

concursos em Curitiba, redação para concurso em curitiba, concurseiros, concursos 2019, cursinho para concursos curitiba, concursos, redação para quem vai prestar concursos, redação para concursos,